Com o time formado, é dada partida à rádio. 1º de março de 1971, segunda-feira, seis horas da manhã. Começa a nova programação. Cerca de 25 pessoas com muita vontade. O quinto andar do Edifício do Relógio é pura vibração. A equipe estava entusiasmada e o trabalho fluía. Todos estavam certos de estar colocando no ar algo revolucionário. E todos faziam parte da revolução.

Uma característica ficaria marcada na Continental. A rádio tocava sempre, alternadamente, uma música brasileira e uma estrangeira. Este grande volume de música brasileira fez com que artistas do centro do país ficassem conhecidos e tivessem boa acolhida em seus shows em Porto Alegre. Nenhuma outra rádio rodava estes músicos brasileiros. Jorge Mautner e Milton Nascimento são exemplos de cantores que, a cada visita que faziam a Porto Alegre, eram convidados a dar entrevistas no estúdio da rádio.

As indicações das gravadoras eram solenemente ignoradas. Os LPs distribuídos vinham com a indicação das faixas que deveriam ser trabalhadas. Na Continental, isso era uma senha para as músicas não serem rodadas.

Outro grande diferencial na programação musical da rádio foi possibilitado pelo Agente 1120. Tratava-se de Aldo Caye, comissário de bordo Varig, amigo e compadre de Judeu, que trazia da Europa e dos Estados Unidos os mais recentes lançamentos musicais. Caye trazia também as revistas Billboard e Cash Box para orientar os programadores musicais. JB Schuler sabia decifrar o mapa da mina. Encomendava a Caye as músicas que estavam entrando na parada americana, principalmente da Filadélfia.

Só dois programas da grade da antiga Continental permaneceram. E com muito sucesso. Dois estilos diferentes, mas de grande audiência. Das 18h às 19h, Antônio Carlos Contursi, o Cascalho, na época era o Bier Boy. Patrocinado pelas Lojas Bier, ele começou na velha Continental em 4 de maio de 1970 com o Bier Show. Inspirado no Big Boy, da Rádio Mundial, Cascalho enlouquecia em frente ao microfone.

Ainda mais antigo na emissora, Clóvis Dias Costa comandava o Ritmo 20 desde 18 de setembro de 1969. Inicialmente no meio da manhã. Mais tarde passaria para o horário das 21h, que permaneceu firme no ar até os últimos dias da 1120. Com um estilo sóbrio, Clóvis anunciava o seu programa como “jovem e de pesquisa”. Rodava Beatles e Rolling Stones, Maria Bethânia e Caetano, entre outros.